Meus PedidosMeu Cadastro

Óleo Essencial De Eucalipto Globulos 10ml

Óleo essencial 100% puro da planta Eucalyptus globulus
14050
Pontos Fidelidade:

Por: R$ 38,84ou X de

Confira as Condições de Parcelamento
AdicionarRemover
Comprar
Descrição

O óleo essencial de Eucalipto By Samia é 100% puro e natural. Sua composição é livre de conservantes, parabenos, sulfatos, corantes, silicone e essências artificiais. Além de ser um produto vegano, livre de testes em animais e de ingredientes de origem animal.


Os óleos essenciais são substâncias naturais extraídas de plantas de diversas partes do mundo. Estas substâncias podem ser encontradas nas flores, nas folhas, nos caules, nas hastes, nas cascas ou nas raízes. Desta forma, podem existir variações em seus aromas e compostos.


História Óleo Essencial de Eucalipto


No século XIX sua madeira foi muito apreciada na fabricação de quilhas de alguns navios, também ficou conhecido por drenar solos de algumas regiões pantanosas da África, das Américas, da Europa meridional e da Índia. O explorador e botânico Barão Ferdinand von Muller sugeriu no século XIX que a fragrância da árvore provaria ser antisséptica. O governo francês enviou sementes para a Argélia na década de 1850 e muitas regiões pantanosas e insalubres se tornaram secas e saudáveis.

O nome eucalyptus vem das partículas eu e kalyto, de origem grega, e significam bem e coberto, em referência aos estames cobertos, ou ao botão da flor antes da floração, e glóbulos significa “bola pequena”, em alusão ao formato do fruto que lembra um gomo. O eucalipto também tem sido chamado de árvore da febre da Austrália. Os nativos do norte da Austrália, porém, preferiam em geral a árvore da Melaleuca (tea tree), devido a seu óleo essencial ser mais rico em propriedades curativas.

O óleo essencial foi destilado pela primeira vez na Austrália em 1788, pelo cirurgião-geral da colônia, Dr. John White. A árvore é em geral conhecida como “gomífera azul da Tasmânia”. O interesse internacional pela árvore surgiu em virtude de seu rápido crescimento e por ela usar uma grande quantidade de água, sendo assim capaz de converter pântano em terra arável. Provavelmente, por conta desse processo, destrói o campo fértil para o mosquito da malária. No século XIX, a árvore ganhou reputação de ser capaz de eliminar um local de “miasma” ou “febre”, quando a fonte da malária ainda não era conhecida. Daí o nome “árvore da febre”.

Aspectos Botânicos do Eucalipto:



Eucalyptus globulus Labill (do latim globulus, um pequeno botão, referência à forma do opérculo do fruto), conhecido por eucalipto-comum ou eucalipto da Tasmânia, é uma espécie florestal de folha perene, pertencente ao gênero Eucalyptus, da família Mirtácea, de crescimento rápido, capaz de produzir árvores de 30 a 55 metros de altura (um exemplar existente na Tasmânia tem 90,7 metros de altura). Originária da Austrália, a espécie é hoje uma das árvores mais amplamente cultivadas em florestas de produção, principalmente para fabrico de pasta de papel e para queima, e a mais expandida das cerca de 600 espécies que integram o gênero Eucalyptus. A área de ocorrência natural da espécie inclui a Tasmânia e o sul do Estado de Victoria (Austrália). Ocorre ainda em áreas isoladas, como as ilhas King e Flinders, ambas no Estreito de Bass, e nos cumes You Yangs. A flor do E. globulus foi proclamada a 27 de novembro de 1962 como emblema do estado da Tasmânia.


É uma árvore de grande dimensão, de tronco ereto e esguio, com ramificação apenas na parte terminal, formando uma canópia esparsa e irregular a grande altura. O tronco é recoberto por um ritidoma cinzento-claro, liso, que tende a soltar-se espontaneamente, libertando longas tiras que ao secar ficam acastanhadas e se enrolam sobre si, ficando pendentes dos troncos por grandes períodos.


A madeira é esbranquiçada, com pouco cerne, muito rica em água quando verde, formada por longas fibras, fissurando e contorcendo-se durante a secagem. Ao quebrar, produz longas falhas aguçadas, ligadas entre si por fortes fibras relativamente flexíveis. Quando cortada a planta se regenera rapidamente.


Folhas persistentes, coriáceas, lanceoladas, opostas, com 15-35 cm e em geral cobertas por glândulas oleíferas; flores pouco vistosas, de 4 cm de diâmetro, solitárias ou em grupos de 2-3, são esbranquiçadas ou cremosas, e, quando utilizadas por colmeias, produzem um mel com sabor e odor característicos; aparecem normalmente na primavera. Os frutos são cápsulas lenhosas com 1,5-2,5 cm de diâmetro, reproduzindo a forma do botão da flor; cada fruto contém numerosas sementes minúsculas, que são liberadas por meio de 3 a 6 válvulas que se abrem no topo do fruto quando da maduração.


Observações Sobre o Óleo Essencial de Eucalipto


embalagem: Frasco de vidro âmbar com gotejador contendo 10 ml de óleo essencial


Nome Científico: Eucalyptus globulus


Parte utilizada da planta: Folhas adultas.


Tipo de Extração: Destilação a vapor.


Combina com:Benjoin, Coriandro, Junípero, Lavanda, Limão, Capim-Limão, Melissa, Pinho e Tomilho.


Utilize com: Óleo Vegetal, Argila Medicinal, Creme Base Neutro, Gel de Aloe Vera, Aromatizador Pessoal e/ou Difusor de Aromas para o Ambiente.



Contraindicações:


Não indicamos o uso de óleo essencial administrado oralmente (ingestão), pois não poderemos afirmar sua segurança sem recomendações específicas sobre metabolizações e interações de medicamentos que possam ocorrer, sob esta via administrativa, somente sob orientação de um profissional extremamente qualificado. Recomendamos fazer um teste de sensibilidade na pele antes do uso via administrativa tópica.


Não recomendamos usar um óleo essencial por mais de 28 dias. Caso seja necessário, descanse uma semana, depois retome-o.


Não usar os óleos essenciais puros sobre a pele, podendo causar irritação cutânea se aplicado diretamente sem diluição, excetoLavanda, Copaíba e Tea Tree em aplicação pontual.


Quanto em tratamento com remédios homeopáticos não utilizar: Hortelã Pimenta, Alecrim, Sálvia officinalis ou Tomilho. Pois são considerados antídotos aos remédios homeopáticos.


No caso de Hipertensão, evitar:Alecrim, Sálvia officinalis e Tomilho.


No caso de Hipotensão, evitar:Manjerona e Ylang Ylang.


No caso de Epilepsia, evitar: Erva-Doce, Alecrim e Sálvia officinalis.


Problemas no Fígado:Caso tenha alguma patologia hepática, evite os óleos essenciais de Erva Doce e Anis Estrelado.


Gravidez:Utilizar após o 5° mês de gestação os óleos de Lavanda, Camomila Romana e os cítricos em geral. Consulte sempre o seu médico.


Amamentação, não utilizar:Hortelã Pimenta e Alecrim, pois estes óleos possuem ação anti-galactagoga, ou seja, corta o leite.


Bebês recém-nascidos, usar:Camomila Romana e Lavanda (01 a 03 gotas em 30 ml de óleo carreador).


Bebês 2 a 12 meses, usar: Camomila Romana, Lavanda, Tangerina, Eucalipto Glóbulos, Tea Tree, (03 a 05 gotas em 30ml óleo carreador).


Crianças 1 a 5 anos, usar: Gerânio + os óleos acima (05 a 10 gotas em 30 ml de óleo carreador).


Crianças 5 a 7 anos, usar: Gengibre + os óleos acima (05 a 12 gotas em 30 ml de óleo carreador).


Crianças 7 a 12 anos, usar: Cipreste, Alecrim, Hortelã Pimenta ou do Brasil, Limão Tahiti ou Siciliano + os óleos acima (05 a 15 gotas em 30 ml de óleo carreador).


Crianças 12 anos e após, usar: A partir dos 12 anos poderá ser usado qualquer óleo essencial, e em dosagem acima de 1% quando necessário.


Como usar o óleo essencial?


Os óleos essenciais são substâncias concentradas e devem sempre ser diluídos e utilizados sob a orientação de um profissional qualificado. A By Samia não se responsabiliza pelo uso indevido dos produtos aqui vendidos.


Aromatizador: Aproximadamente 15 gotas;


Banhos: Em média 15 a 20 gotas após encher a banheira. Diluir em 01 colher de sopa de óleo vegetal, mel ou vinagre orgânico de maçã, e acrescentar ao banho.


Compressa: 05 a 10 gotas em 1/2 litro de água;


Inalação: 02 gotas em 01 lenço (inalação pontual) ou 01 gota em 50 ml de soro fisiológico ou água (inalação a vapor ou em inalador elétrico);


Massagem: 04 a 12 gotas por colher de sopa de óleo vegetal;


Óleo para rosto: 01 gota em 01 colher de café de óleo vegetal;


Óleo para cabelos: Em média 06 gotas por colher de sopa de óleo vegetal;


Uso tópico: Em média 06 gotas por colher de sopa de óleo vegetal.


Conservação do óleo essencial:


Armazenar em local bem ventilado em embalagem fechada, protegido da luz, calor, fogo, plástico e madeira. Mantenha os frascos longe do alcance das crianças e dos olhos.


Por que não ingerir os óleos essenciais?


Os óleos essenciais quando ingeridos podem causar efeitos irritativos ou serem agressivos em mucosas. Podem promover efeitos adversos. Por isso, se for optar por essa via de administração recomendamos que esta seja feita sob recomendação de um médico que conheça a atuação dos óleos essenciais, ou profissionais da aromaterapia com conhecimento profundo em farmacologia ou farmacêuticos. Dentro dos estudos na aromaterapia a escola francesa, (chamada de aromatologia também) está difunde as vias administrativas oral, retal e vaginal.


Já a escola inglesa (que é a que a By Samia segue) baseia-se mais no uso externo, através de massagens, reflexologia, inalações e aromatização de ambiente, entre outros, não havendo uso interno, oral, retal e vaginal.


Segue um link em relação a essa prática:


https://bysamia.com/2017/11/29/porque-ingerir-oleos-essenciais-11-motivos-para-voce-repensar-esta-pratica/


Confira a cromatografia do óleo essencial de Eucalipto:
CLIQUE AQUI PARA BAIXAR
Siga @bysamiaaromaterapia no Instagram