Meus PedidosMeu Cadastro

Óleo Essencial de Lavanda 10 ml

Óleo essencial 100% puro da planta Lavandula angustifolia
16555
Pontos Fidelidade:

De: R$ 61,00Por: R$ 57,50ou X de

Economia de R$ 3,50

Confira as Condições de Parcelamento
AdicionarRemover
Comprar
Descrição

História


A Lavanda é uma das plantas com maior tradição empregada na antiguidade. Os gregos, os romanos e os árabes empregavam a variedade Lavandula stoechas como erva antisséptica e de perfumaria – daí seu nome em latim lavare, que significa lavar. Devido à aparência de suas folhas, faz-se menção a angustifólia.

Muito utilizada como erva aromática, foi espalhada em lugares públicos da antiga Europa a partir do século XII. No mesmo século, a Madre St. Hildegarda reconhecia suas várias propriedades terapêuticas. O famoso botânico inglês do século XVI, William Turner, recomendava a Lavanda para lavar a cabeça das pessoas com transtornos psiquiátricos. Em 1640, o médico inglês John Parkinson considerava a Lavanda como “muito boa para dores de cabeça e para o cérebro”. Em 1746 foi incluída pela primeira vez na farmacopeia londrina.

É um dos óleos essenciais mais conhecidos na Aromaterapia e usado para fins curativos desde tempos imemoráveis. Durante séculos, sachês de Lavanda foram colocados nas gavetas de roupas de cama para evitar mofo e afastar os insetos – suas propriedades inseticidas eram bastante evidentes. Também era apreciado por sua qualidade antisséptica pelos romanos, que o usavam nos banhos e para limpar ferimentos, confirmando a correspondência com o verbo latino lavare. Acreditava-se que a Lavanda poderia curar formas mais brandas de epilepsia.

A água de Lavanda era popular no período elisabetano e na dinastia Stuart. Também era o perfume preferido da rainha Maria Henrietta, esposa do rei Charles I. A Lavanda inglesa foi cultivada durante muito tempo ao redor de Mitchum, em Surrey, embora seja hoje amplamente cultivada em Norfolk. Suas maravilhosas propriedades dermatológicas foram descobertas quase acidentalmente pelo químico francês René Maurice Gattefossé, no início do século XX. Confere sabor exótico a alguns pratos franceses e marroquinos.

Supõe-se que a destilação comercial começou no início do século XVII – acredita-se que, por ser regida por Mercúrio, isto pode relacionar-se com seu uso tradicional para o sistema nervoso. Um óleo nada romântico, atribui-se também a ele funcionar como anafrodisíaco. Borrifar Lavanda na cabeça supostamente ajuda a manter a castidade. Diz-se que a Lavanda é uma das ervas dedicadas a Hécate, a deusa dos bruxos e das feiticeiras, e a suas duas filhas, Medeia e Circe.

Observações e Curiosidades:




Nome Científico: Lavandula angustifólia


Origem: França


Parte utilizada da planta: Sumidades floridas ou botões na época de máxima floração (geralmente no verão), pois é neste momento que as glândulas contêm a máxima porcentagem de óleos essenciais.


Tipo de Extração: Destilação a vapor.


Quantidade para extração: 100 a 120 kg de matéria-prima para 01 kg de óleo essencial


Composição química: Deve conter no mínimo de 35% e no máximo 62% de ésteres calculados como acetato de linalila. Sua composição é a seguinte: Monoterpenos (5%): alfa-pineno, beta-pineno, limoneno, alo-ocimeno, etc. Sesquiterpenos (3%): beta-cariofileno, beta-farneseno. Álcoois monoterpênicos e terpênicos (40-45%): linalol (principal), terpeniol, geraniol, lavandulol, borneol, etc. Outras sesquiterpenonas (2%), aldeídos terpênicos e não terpênicos (2%), butanólidos (0,1%), cumarinas (0,25%), acetato de linalila (30-48%), etc.


Nota aromática: Média


Aroma: Floral, suave e fresco, com um toque amadeirado


Planeta: Mercúrio


Elemento: Água


Cor que vibra: Lilás, Roxo, Púrpura


Signo: Virgem


Efeito nos Doshas: Diminui Vata e Pitta e aumenta Kapha


Chakra: Coroa/Sahasrara e Terceiro Olho / Ajna.


Qualidade: Yin


Mistura-se bem com: Louro, Bergamota, Camomila, Citronela, Sálvia Esclareia, Gerânio, Jasmim, Limão, Mandarina, Noz-Moscada, Laranja, Patchouli, Pinho, Tomilho e Alecrim.



Modo de Uso dos Óleos Essenciais




Aromatizador: aproximadamente 15 gotas


Banhos: 20 gotas após encher a banheira dissolvidas em uma colher de sopa de óleo vegetal


Compressa: 5 a 10 gotas em 1/2 litro de água


Inalação: 2 gotas em um lenço ou inalador com soro fisiológico ou água


Massagem: 1 a 3 gotas por colher de sopa de óleo vegetal


Óleo para rosto: 1 gota em 1 colher de sopa de carreador


Óleo para cabelos: 1 a 3 gotas por colher de sopa de óleo vegetal ou shampoo


Uso tópico: 5 gotas por colher de sopa de óleo vegetal




Os óleos essenciais são substâncias concentradas e devem sempre ser diluídos, e utilizados sob a orientação de um profissional qualificado. A By Samia não se responsabiliza pelo uso indevido dos produtos aqui vendidos.
Siga @bysamiaaromaterapia no Instagram